FUNDAÇÃO “SEMENTES DE ESPERANÇA” - PEMBA / MOÇAMBIQUE



“ACOMPANHAMENTO SANITÁRIO DOS DOENTES DE LEPRA”


O projecto teve por um lado o objectivo de garantir um serviço de enfermagem regular aos doentes atendidos no ambulatório do Centro Lambaréné, Sede da Associação das Pessoas atingidas pela Lepra, ALEMO, assim como todo atendimento médico e medicamentoso necessário durante o tratamento da doença e nas sequelas da mesma; por outro lado facilitou-se também, através da entrega de bicicletas, o trabalho dos voluntários da Associação que nos núcleos dos diferentes Distritos, se comprometem no acompanhamento domiciliário dos doentes e na pesquisa e cuidados de pessoas com lepra que vivem em zonas afastadas da comunidade.
O valor orçamentado para tal providenciou o seguinte:
1. Remuneração mensal de um enfermeiro para o atendimento dos doentes de lepra no Centro Lambaréné, Pemba, durante um ano.
2. Pagamento de consultas especiais de ortopedia, dermatologia-leprologia, oftalmologia, urologia, ginecologia e medicina geral.
3. Despesas relativas a internamentos hospitalares, transfusões e material para prevenção de deformidades.
4. Compra de 15 bicicletas destinadas ao trabalho voluntário de acompanhamento dos doentes de lepra nos Distritos de Pemba-Metuge, Chiúre, Ancuabe, Namuno, Mecufi e Montepuez.
O projecto proporcionou um atendimento diário por parte do enfermeiro no Centro Lambaréné a fim de garantir a cura regular das complicações da lepra (úlceras, feridas, dores devido a neurites, etc.) e a monitoria do tratamento medicamentoso quimioterápico desta doença; promoveu-se ao mesmo tempo o programa de autocuidados e fisioterapia para a prevenção e tratamento de deformidades.
Vários pacientes sofrendo de reações lepróticas foram acompanhados com um tratamento monitorado de Prednisolone e outros antibióticos, recebendo a educação sanitária adequada à situação de cada doente. As sequelas causadas pela doença da lepra em alguns doentes com graves úlceras no pé, em muitos casos agravadas por Hiv/Sida, revelaram a necessidade de amputação; outros tipos de intervenções cirúrgicas exigiram também um seguimento e a respectiva transferência para o Hospital Provincial de Pemba, onde foram facilitadas consultas médicas de algumas especialidades como oftalmologia, ginecologia, dermatologia, estomatologia, etc.
Ao longo do ano 2016, foram atendidas no Centro Lambaréné 65 pessoas atingidas pela lepra no tratamento medicamentoso quimioterápico, na cura regular das úlceras, no tratamento monitorado das reações lepróticas graves e nos casos de recaída ou necessidade de reiniciar o tratamento após a interrupção. Destas, 38 foram acolhidas transitoriamente no Centro por períodos breves de tempo ou prolongados, dependendo da necessidade.
Os doentes com deformidades e sequelas graves foram apoiados em termos de muletas, sandálias e calçados para pés sem sensibilidade; outros apoios como óculos para pacientes com lagoftalmia, pomada para o cuidado da pele insensível e seca, etc. contribuíram para melhorar as suas condições físicas. A prática de autocuidados e fisioterapia com exercícios de mobilizações activas e passivas ajudaram na prevenção e tratamento das deformidades em pacientes com atrofia muscular, mãos e pés com paralisia e danos no nervo facial, melhorando visivelmente a situação deles. Os doentes em tratamento de lepra receberam a educação sanitária necessária insistindo na importância da regularidade na toma de medicamentos visando assim à prevenção da interrupção da terapia.
Periodicamente foi facultada aos doentes a oportunidade de uma consulta médica especial graças à presença no Hospital de Pemba de um dermatólogo cubano especializado em leprologia. Foram também necessárias algumas outras consultas especiais de cirurgia, oftalmologia, ginecologia, urologia e cinco intervenções cirúrgicas no Hospital Provincial.
No mês de Setembro foram compradas 15 bicicletas destinadas aos núcleos, que estão em processo de ser entregues aos voluntários. De salientar que foi necessário um trabalho preliminar de sensibilização do núcleo, formação do voluntário e responsabilização sobre o uso deste meio que levou tempo, devido à distância dos lugares de entrega e as pesquisas necessárias para poder escolher as localidades com maior necessidade de um atendimento deste tipo. Por esta razão as primeiras bicicletas foram entregues nos meses de Outubro e Novembro e as outras serão entregues a partir do mês de Abril ou Maio 2017, uma vez terminada a temporada das chuvas.
Vista a enorme utilidade deste Projecto e a necessidade de dar continuidade ao atendimento sanitário dos doentes de lepra, pedimos por este meio considerar a possibilidade de apresentarmos de novo um Projecto para esta área.
Gratas pela atenção, recebam as nossas mais cordiais saudações.


Fundação "Sementes de Esperança"